Carregando...
Jusbrasil - Legislação
03 de dezembro de 2021

Lei 11375/09 | Lei nº 11.375 de 05 de fevereiro de 2009

Publicado por Governo do Estado da Bahia (extraído pelo Jusbrasil) - 12 anos atrás

LEIAM 0 NÃO LEIAM

Reestrutura as carreiras de Analista Universitário e Técnico Universitário, integrantes do Grupo Ocupacional Técnico-Específico, criado pela Lei nº 8.889, de 01 de dezembro de 2003, bem como o seu padrão remuneratório, e dá outras providências. Ver tópico (113 documentos)

O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

CAPÍTULO I -

DISPOSIÇ÷ES PRELIMINARES

Art. 1º - Ficam reestruturadas as carreiras de Analista Universitário e Técnico Universitário, do Grupo Ocupacional Técnico-Específico, criado pela Lei nº 8.889, de 01 de dezembro de 2003, bem como o seu Plano de Carreira e Remuneração, conforme disposto nesta Lei. Ver tópico

Art. 2º - Os cargos das carreiras de que trata esta Lei terão as seguintes atribuições: Ver tópico (2 documentos)

I - Analista Universitário: atividades de suporte técnico aos projetos e ações administrativas e acadêmicas, executados nas Universidades Estaduais; Ver tópico

II - Técnico Universitário: atividades de suporte técnico de média complexidade aos projetos e ações operacionais, administrativas e acadêmicas das Universidades Estaduais. Ver tópico

Art. 3º - Para os efeitos desta Lei, entende-se por: Ver tópico

I - Referência - posição horizontal estabelecida para a Gratificação de Suporte Técnico-Universitário, prevista no artigo 18 desta Lei, de acordo com a titulação ou aperfeiçoamento do servidor e o Grau, cuja evolução dar-se-á por progressão; Ver tópico

II - Grau - posição vertical estabelecida para o vencimento básico e para a Gratificação de Suporte Técnico-Universitário em cada Referência, cuja evolução dar-se-á pela promoção. Ver tópico

Art. 4º - Os cargos de Analista Universitário e Técnico Universitário passam a ser estruturados em Graus, conforme Anexos I- A e II desta Lei. Ver tópico

Art. 5º - Os cargos de Analista Universitário passam a ser estruturados em 09 Graus, na forma do Anexo II desta Lei. Ver tópico

Art. 6º - O ingresso na carreira de Analista Universitário dar-se-á no Grau I, mediante aprovação em concurso público de provas e títulos, e na carreira de Técnico Universitário, no Grau I, Referência I, mediante aprovação em concurso público de provas. Ver tópico

§ 1º - Para o ingresso nas carreiras de Analista Universitário será exigido diploma de conclusão de curso superior devidamente registrado no Ministério da Educação e, para a de Técnico Universitário, certificado de conclusão de 2º grau devidamente registrado no Ministério da Educação. Ver tópico

§ 2º - O edital do concurso definirá o número de cargos a serem providos, conforme a especificidade da função e observará a disponibilidade orçamentária e o interesse da Administração Pública. Ver tópico

Art. 7º - A carreira de Técnico Universitário passa a ser estruturada em 04 (quatro) Graus e integrada pelo quantitativo de cargos de igual nomenclatura que consta do Anexo I- B desta Lei. Ver tópico (3 documentos)

Art. 8º - A jornada de trabalho dos integrantes dos cargos reestruturados por esta Lei é de 30 (trinta) horas semanais. Ver tópico

Parágrafo único - A jornada de trabalho poderá ser ampliada a qualquer tempo por interesse da Administração Pública com a anuência do servidor, sendo a Gratificação de Suporte Técnico Universitário - GSTU atribuída de acordo com a respectiva jornada. Ver tópico

CAPÍTULO II -

DO DESENVOLVIMENTO NAS CARREIRAS

Art. 9º - O desenvolvimento do servidor nas carreiras de Analista Universitário e de Técnico Universitário, bem como para efeito de atribuição da Gratificação de Suporte Técnico Universitário ocorrerá por: Ver tópico (22 documentos)

I - promoção, passagem do servidor para Grau imediatamente seguinte, observados os fatores estabelecidos nesta Lei, na forma do regulamento; Ver tópico (1 documento)

II - progressão, mudança do valor da Gratificação de Suporte Técnico Universitário atribuída ao servidor, dentro do mesmo Grau, observada para o cargo de Analista Universitário a titulação exigida e, para o cargo de Técnico Universitário, a conclusão em curso de aperfeiçoamento, nos termos dos §§ 1º e 2º do artigo 18 desta Lei, conforme dispuser o regulamento. Ver tópico

Art. 10 - A promoção na carreira de Analista Universitário basear-se-á na pontuação obtida pelo servidor em razão dos seguintes fatores: Ver tópico (3 documentos)

I - avaliação de desempenho; Ver tópico

II - freqüência e aproveitamento satisfatório em atividades de capacitação; Ver tópico

III - tempo de efetivo exercício no cargo permanente; Ver tópico

IV - produção técnica ou acadêmica na área específica de exercício do servidor; Ver tópico

V - participação como instrutor em cursos técnicos ofertados no plano anual de capacitação do órgão ou entidade; Ver tópico

VI - realização de atividades prioritárias, condições especiais de trabalho e características específicas da carreira. Ver tópico

Parágrafo único - É requisito para a promoção o cumprimento de interstício mínimo de 36 (trinta e seis) meses de efetivo exercício em cada Grau, sendo obrigatória a aprovação no estágio probatório. Ver tópico

Art. 11 - É requisito básico para a progressão da Gratificação de Suporte Técnico Universitário atribuída ao cargo de Analista Universitário a aquisição da titulação exigida para a Referência correspondente, observado o cumprimento de interstício mínimo de 24 (vinte e quatro) meses de efetivo exercício na Referência ocupada. Ver tópico (3 documentos)

Parágrafo único - A progressão poderá estar sujeita a processo seletivo em função da disponibilidade orçamentária e financeira. Ver tópico

Art. 12 - O desenvolvimento do servidor na carreira de Técnico Universitário ocorrerá por promoção, de um Grau para o imediatamente seguinte, sendo obrigado à passagem por todas as Referências dentro do mesmo Grau, conforme dispuser o regulamento, baseada na pontuação obtida em razão dos seguintes fatores: Ver tópico (6 documentos)

I - avaliação de desempenho; Ver tópico

II - tempo de efetivo exercício no cargo permanente; Ver tópico

III - realização de atividades prioritárias, condições especiais de trabalho e características específicas da carreira; Ver tópico

IV - exercício de funções de confiança, cargos em comissão ou coordenação de equipe ou unidade; Ver tópico

V - participação como instrutor em cursos técnicos ofertados no plano anual de capacitação do órgão ou entidade; Ver tópico

VI - titulação adquirida pelo ocupante do cargo. Ver tópico

§ 1º - É requisito básico para promoção o cumprimento de interstício mínimo de 36 (trinta e seis) meses de efetivo exercício no Grau I, 54 (cinqüenta e quatro) meses nos Graus II e III, podendo estes ser reduzidos para 48 (quarenta e oito) meses, desde que atendidos os fatores previstos nos incisos do caput deste artigo, a critério da Administração. Ver tópico

§ 2º - É obrigatório para a promoção o cumprimento de interstício mínimo de 36 (trinta e seis) meses de efetivo exercício no Grau I com aprovação no estágio probatório. Ver tópico

Art. 13 - É requisito básico para a progressão da Gratificação de Suporte Técnico Universitário atribuída ao cargo de Técnico Universitário a freqüência e o aproveitamento satisfatório em atividades de capacitação, conforme dispuser o regulamento. Ver tópico (5 documentos)

Parágrafo único - É requisito básico para a progressão o cumprimento dos seguintes interstícios: Ver tópico

I - 12 (doze) meses de efetivo exercício na Referência ocupada, quando no Grau I; Ver tópico

II - 18 (dezoito) meses de efetivo exercício na Referência ocupada, quando nos Graus II, Ver tópico

Art. 14 - Observado o disposto neste Capítulo e as diretrizes procedentes da Secretaria da Administração - SAEB, os órgãos e entidades de lotação do servidor divulgarão, anualmente, o número de cargos das carreiras de Analista Universitário e de Técnico Universitário a serem providos mediante promoção. Ver tópico (3 documentos)

Art. 15 - O regulamento estabelecerá o sistema de pontuação dos critérios definidos nos artigos 10,12, 13 e 14 desta Lei, bem como os procedimentos e requisitos de participação em processo seletivo exigido para o desenvolvimento nas carreiras. Ver tópico (3 documentos)

Art. 16 - Deverá ser instituído pelo órgão ou entidade de lotação do servidor, observadas as diretrizes definidas pela SAEB, o Programa de Formação e Aperfeiçoamento continuado para o desenvolvimento nas carreiras de Analista Universitário e Técnico Universitário do Grupo Ocupacional Técnico Específico. Ver tópico (18 documentos)

CAPÍTULO III -

DOS VENCIMENTOS E DAS VANTAGENS

Art. 17 - Os vencimentos dos cargos das carreiras de Técnico Universitário e Analista Universitário são os constantes do Anexo I- A e II desta Lei. Ver tópico

Art. 18 - Fica instituída a Gratificação de Suporte Técnico Universitário ?" GSTU, privativa dos ocupantes dos cargos das carreiras de Técnico Universitário e Analista Universitário, que será concedida em razão da jornada de trabalho, conforme os valores constantes dos Anexos I- A e II desta Lei. Ver tópico (3 documentos)

§ 1º - Para efeito de fixação do valor da Gratificação do cargo de Analista Universitário, será considerada a Referência onde se situar o servidor, na forma a seguir: Ver tópico

I - Referência S, integrado por Analista Universitário com escolaridade de nível superior; Ver tópico

II - Referência E, integrado por Analista Universitário com 01 (uma) especialização em nível de pós-graduação, com carga horária mínima de 360 (trezentos e sessenta) horas; Ver tópico

III - Referência EE, integrado por Analista Universitário com 02 (duas) especializações em nível de pós-graduação, com carga horária mínima de 360 (trezentos e sessenta) horas cada, ou 01 (uma) especialização em nível de pós-graduação com carga horária igual ou superior a 600 (seiscentas) horas; Ver tópico

IV - Referência M, integrado por Analista Universitário com título de mestrado; Ver tópico

V - Referência D, integrado por Analista Universitário com título de doutorado. Ver tópico

§ 2º - Para efeito de fixação do valor da Gratificação do cargo de Técnico Universitário, será considerada a Referência onde se situar o servidor, na forma a seguir: Ver tópico

I - Referência 1, integrado por Técnicos Universitários com escolaridade de nível médio; Ver tópico

II - Referência 2, integrado por Técnicos Universitários com escolaridade de nível médio e 180 (cento e oitenta) horas integralizadas em diversos cursos de aperfeiçoamento, com carga horária mínima de 8 (oito) horas, em área relacionada às atribuições do cargo; Ver tópico

III - Referência 3, integrado por Técnicos Universitários com escolaridade de nível médio e 240 (duzentos e quarenta) horas integralizadas em diversos cursos de aperfeiçoamento, com carga horária mínima de 20 (vinte) horas em áreas relacionadas às atribuições do cargo. Ver tópico

§ 3º - O servidor integrante das carreiras de Analista Universitário e Técnico Universitário terá assegurado o direito à percepção da gratificação nas seguintes hipóteses de afastamento, a ser paga no mesmo valor percebido no mês anterior ao do afastamento: Ver tópico (2 documentos)

I - licença-prêmio, desde que a vantagem esteja sendo percebida ininterruptamente há mais de seis meses; Ver tópico

II - exercício de mandato eletivo em diretoria de entidade sindical representativa da categoria dos servidores públicos do Estado da Bahia; Ver tópico

III - nas demais hipóteses previstas nos artigos 113 e 118, incisos I, III, VII e XI, alíneas ?a?, ?b? e ?c? da Lei nº 6.677, de 26 de setembro de 1994. Ver tópico

IV - exercício funcional, decorrente de disposição ou de investidura em cargo em comissão, em órgão ou entidade do Poder Executivo Estadual; Ver tópico

Acrescido pelo art. a Lei nº 11.471, de 15 de abril de 2009.

§ 4º - A Gratificação será paga conjuntamente com o vencimento e demais vantagens do cargo e não servirá de base para cálculo de qualquer outra vantagem, integrando a remuneração apenas para os efeitos de cálculo das seguintes parcelas: Ver tópico

I - remuneração de férias; Ver tópico

II - abono pecuniário, resultante da conversão de parte das férias; Ver tópico

III - gratificação natalina. Ver tópico

§ 5º - A Gratificação é incompatível com as seguintes vantagens: Ver tópico

I - Gratificação pelo Exercício Funcional em Regime Integral e Dedicação Exclusiva; Ver tópico

II - Gratificação por Condições Especiais de Trabalho; Ver tópico

III - Gratificação pela Execução de Serviços do Programa de Transportes; Ver tópico

IV - Gratificação Especial por Produtividade; Ver tópico

V - Gratificação de Incentivo à Melhoria da Qualidade da Assistência Médica; Ver tópico

VI - Gratificação por Serviços Extraordinários; Ver tópico

VII - Gratificação pela Execução de Serviços do Programa de Edificações Públicas do Estado da Bahia; Ver tópico

VIII - Prêmio por Desempenho Fazendário. Ver tópico

§ 6º - O servidor investido em cargo em comissão ou função de confiança poderá optar, enquanto perdurar a investidura, entre a Gratificação de Suporte Técnico Universitário e a gratificação de CET ou de RTI, atribuídas em decorrência da comissão ou função de confiança, observado o disposto no artigo 78 da Lei nº 6.677, de 26 de setembro de 1994. Ver tópico

§ 7º - Para efeito de percepção da Gratificação de Suporte Técnico Universitário ?"GSTU, nos afastamentos decorrentes de Licença Prêmio, bem como para incorporação aos proventos de aposentadoria, somam-se indistintamente os períodos de percepção desta vantagem e da Gratificação por Competência ?" GPC, da Gratificação de Incentivo à Melhoria da Qualidade da Assistência Médica ?"GIQ, da Gratificação de Desempenho no Trabalho - GDT, da Gratificação por Condições Especiais de Trabalho - CET, da Gratificação pelo Exercício Funcional em Regime de Tempo Integral e Dedicação Exclusiva ?" RTI, da Gratificação Especial por Produtividade ?"GEP, da Gratificação pela Execução de Serviços do Programa de Transportes ?" GET e da Gratificação pela Execução de Serviços do Programa de Edificações Públicas do Estado da Bahia ?" GEP. Ver tópico

§ 8º - Fica extinta a Gratificação por Competência - GPC para as carreiras de Analista Universitário do Grupo Ocupacional Técnico Especifico, na mesma data que se inicia a vigência desta Lei. Ver tópico

§ 9º - Os servidores das carreiras de Analista Universitário e Técnico Universitário que estejam percebendo quaisquer das vantagens previstas nos incisos I a VIII do § 5º deste artigo deverão optar pela manutenção das mesmas, sendo-lhes facultado, por uma única vez e a qualquer tempo, alterar para a gratificação ora instituída. Ver tópico

§ 10 - Nos vencimentos básicos dos cargos da carreira de Técnico Universitário, constantes do Anexo I- A desta Lei, está incorporado o valor de R$25,38 (vinte e cinco reais e trinta e oito centavos) percebido a título de Gratificação por Condições Especiais de Trabalho. Ver tópico

Art. 19 - Os vencimentos e a gratificacao privativa das carreiras de Analista Universitario e Tecnico Universitario, constantes dos Anexos I- A e II desta Lei, estarao sujeitos a atualizacao decorrente de revisao geral da remuneracao dos servidores publicos estaduais que ocorrerem a partir de 01 de fevereiro de 2009. Ver tópico

CAPITULO IV

- DO ENQUADRAMENTO

Art. 20 - Para o enquadramento na tabela de Gratificação de Suporte Técnico Universitário ?"GSTU, ao servidor que esteja ocupando cargo em comissão ou função gratificada em órgão ou entidade do Poder Executivo ou em outros Poderes do Estado da Bahia e que não tenha optado pela percepção da Gratificação por Competência ?" GPC será atribuído, em 31 de janeiro de 2009, o enquadramento na tabela da GPC, sem a percepção do valor correspondente, obedecendo aos seguintes critérios: Ver tópico

I - No caso de exoneração ou dispensa de cargo em comissão ou função gratificada até 31 de janeiro de 2009, o servidor terá o seu enquadramento conforme a regra estabelecida no caput deste artigo, fazendo jus à percepção automática do valor correspondente à Gratificação por Competência - GPC da classe ocupada no cargo efetivo conforme artigo 117 da Lei nº 8.889, de 1º de dezembro de 2003. Ver tópico

II - Atendido o disposto neste artigo, aplicar-se-á o enquadramento do Analista Universitário na tabela da Gratificação de Suporte Técnico Universitário - GSTU observado o disposto no artigo 21 desta Lei. Ver tópico

Art. 21 - Os atuais ocupantes do cargo de Analista Universitário que estejam enquadrados na tabela da Gratificação por Competência ?"GPC, por carga horária, passam a perceber a Gratificação de Suporte Técnico Universitário ?" GSTU com base na remuneração individual praticada, entendida esta como o vencimento do cargo efetivo acrescido do valor do nível da GPC atribuída com base na jornada de trabalho e de acordo com a titulação nas Referências seguintes: Ver tópico

I - Referência S, no Grau correspondente à classe atualmente ocupada, os atuais Analistas Universitários com escolaridade de nível superior; Ver tópico

II - Referência E, no Grau correspondente à classe atualmente ocupada, os atuais Analistas Universitários com 01 (uma) especialização em nível de pós-graduação, com carga horária mínima de 360 (trezentos e sessenta) horas; Ver tópico

III - Referência EE, no Grau correspondente à classe atualmente ocupada, os atuais Analistas Universitários com 02 (duas) especializações em nível de pós-graduação, com carga horária mínima de 360 (trezentos e sessenta) horas cada uma, ou 01 (uma) especialização em nível de pós-graduação com carga horária igual ou superior a 600 (seiscentas) horas; Ver tópico

IV - Referência M, no Grau correspondente à classe atualmente ocupada, os atuais Analistas Universitários com título de mestrado; Ver tópico

V - Referência D, no Grau correspondente à classe atualmente ocupada, os atuais Analistas Universitários com título de doutorado. Ver tópico

§ 1º - A entidade de lotação do servidor promoverá a revisão do enquadramento previsto no caput deste artigo, no prazo de 120 (cento e vinte) dias, de oficio ou a requerimento do interessado, por titulação de Especialização em nível de Pós-graduação, Mestrado ou Doutorado, reconhecidos pelo Ministério da Educação ?" MEC, concluída em área relacionada às atribuições do cargo e que não tenham sido computados nos processos de progressão ou promoção realizados anteriormente, comprovados com o diploma ou certificado de conclusão do curso. Ver tópico

§ 2º - A regra de enquadramento prevista no parágrafo anterior terá seus efeitos financeiros a partir da data de publicação do ato de concessão. Ver tópico

§ 3º - Para efeito do disposto neste artigo, o valor de remuneração apurado deverá ser comparado com padrões de vencimentos para os graus dos cargos efetivos e os valores de GSTU fixados na nova estrutura de Graus, respeitada a titulação requerida em cada Referência, e o regime de trabalho a que o servidor esteja submetido, atribuindo esta vantagem pelo Grau e Referência, conforme titulação, cujo valor de GSTU somado ao vencimento represente valor igual ou imediatamente superior ao da remuneração, esta entendida como vencimento acrescido de Gratificação por Competência ?" GPC, percebida na data de início de vigência desta Lei. Ver tópico

§ 4º - Para os servidores que percebam a vantagem da estabilidade econômica pela diferença do símbolo, na forma do artigo 92 da Lei nº 6.677, de 26 de setembro de 1994, a remuneração individual praticada, entendida esta como a soma do vencimento, o valor da diferença do símbolo e a Gratificação por Competência ?" GPC, será comparada com os padrões de vencimento fixados na nova estrutura da carreira para os Graus do cargo efetivo e os valores da Gratificação ora instituída, observada a titulação, não podendo resultar valor inferior ao da remuneração percebida em janeiro de 2009. Ver tópico

§ 5º - Se do comparativo de remuneração previsto nos parágrafos 3º e 4º deste artigo resultar indicação de Grau superior à prevista nesta Lei, proceder-se-á ao enquadramento no Grau cujo vencimento somado à Gratificação de Suporte Técnico Universitário - GSTU, e quando couber, ao valor percebido pela estabilidade econômica, seja igual ou imediatamente superior à composição da sua remuneração. Ver tópico

§ 6º - Se, após o enquadramento previsto neste artigo, o somatório das parcelas remuneratórias percebidas em janeiro de 2009 resultar em valor superior ao total das parcelas remuneratórias a perceber a partir de fevereiro de 2009, a título de vencimento e Gratificação de Suporte Técnico Universitário ?" GSTU no último Grau da tabela de 40 horas, o valor excedente será atribuído ao servidor como Vantagem Pessoal. Ver tópico

§ 7º - Ocorrendo revisão geral da remuneração dos servidores públicos estaduais na mesma data de vigência desta Lei, as regras de enquadramento previstas neste artigo serão aplicadas considerando os valores já reajustados dos vencimentos e da gratificação privativa da carreira de Analista Universitário. Ver tópico

§ 8º - O valor correspondente à Vantagem Pessoal, a que se refere o parágrafo 6º deste artigo, será reajustado quando da revisão geral da remuneração dos servidores públicos. Ver tópico

Art. 22 - Os ocupantes do cargo de Técnico Universitário que estejam enquadrados no percentual de Gratificação por Condições Especiais de Trabalho ?"CET, estabelecido pelo Conselho de Política de Recursos Humanos ?" COPE, por carga horária, passam a perceber a Gratificação de Suporte Técnico Universitário ?" GSTU com base na remuneração individual praticada, entendida esta como o vencimento do cargo efetivo acrescido do valor do nível da CET atribuída com base na jornada de trabalho e de acordo com os seguintes critérios: Ver tópico (6 documentos)

I - Referência 1, no Grau correspondente à classe atualmente ocupada, para os atuais Técnicos Universitários com escolaridade de nível médio; Ver tópico

II - Referência 2, no Grau correspondente à classe atualmente ocupada, para os atuais Técnicos Universitários com escolaridade de nível médio e 180 (cento e oitenta) horas integralizadas em diversos cursos de aperfeiçoamento com carga horária mínima de 8 (horas) em área relacionada às atribuições do cargo; Ver tópico

III - Referência 3, no Grau correspondente à classe atualmente ocupada, para os atuais Técnicos Universitários com escolaridade de nível médio e 240 (duzentos e quarenta) horas integralizadas em diversos cursos de aperfeiçoamento com carga horária mínima de 20 (vinte) horas em áreas relacionadas às atribuições do cargo. Ver tópico

§ 1º - A Secretaria da Administração promoverá a revisão do enquadramento previsto no caput deste artigo, no prazo de 120 (cento e vinte) dias, de ofício ou a requerimento do interessado, por integralização de cursos de aperfeiçoamento concluídos com carga horária mínima de 8 (oito) horas em área relacionada às atribuições do cargo e que não tenham sido computados nos processos de progressão ou promoção realizados anteriormente, comprovados com o diploma ou certificado de conclusão dos cursos. Ver tópico

§ 2º - A regra de enquadramento prevista no parágrafo anterior terá seus efeitos financeiros a partir da data de publicação do ato de concessão. Ver tópico

§ 3º - Para os servidores que percebam a vantagem da estabilidade econômica pela diferença do símbolo, na forma do artigo 92 da Lei nº 6.677, de 26 de setembro de 1994, a remuneração individual praticada, entendida esta como a soma do vencimento, o valor da diferença do símbolo e a Gratificação por Condições Especiais de Trabalho ?" CET, será comparada com os padrões de vencimento fixados na nova estrutura da carreira para os Graus do cargo efetivo e os valores da Gratificação ora instituída, observada a titulação, não podendo resultar valor inferior ao da remuneração percebida em janeiro de 2009. Ver tópico

§ 4º - Se do comparativo de remuneração previsto nos §§ 2º e 3º deste artigo resultar indicação de Grau superior ao previsto nesta Lei, proceder-se-á ao enquadramento no Grau cujo vencimento, somado à Gratificação de Suporte Técnico Universitário - GSTU, e quando couber o valor percebido pela estabilidade econômica, seja igual ou imediatamente superior à composição da sua remuneração. Ver tópico (6 documentos)

§ 5º - Ocorrendo revisão geral da remuneração dos servidores públicos estaduais na mesma data de vigência desta Lei, as regras de enquadramento previstas neste artigo serão aplicadas considerando os valores já reajustados dos vencimentos e da gratificação privativa da carreira de Técnico Universitário. Ver tópico

CAPÍTULO V -

DAS DISPOSIÇ÷ES FINAIS E TRANSIT�"RIAS

Art. 23 - Em 01 de novembro de 2009, será realizada promoção dos ocupantes dos cargos da carreira de Analista Universitário, que ingressaram até 30 de dezembro de 2003, a ser feita para o Grau imediatamente superior ao resultante do enquadramento previsto no artigo 21 desta Lei, não se aplicando nesta única situação as exigências estabelecidas no artigo 10 desta Lei. Ver tópico

Parágrafo único - Na mesma data prevista no caput deste artigo conceder-se-á progressão para a Referência imediatamente superior para os Técnicos Universitários que ingressaram na carreira até 30 de dezembro de 2003. Ver tópico

Art. 24 - Os cargos NM-1, NM-2, NM-3, NS-1 e NS-2, constantes do Quadro Especial previsto no Anexo II da Lei nº 8.824, de 22 de setembro de 2003, passam a compor as carreiras de Analista Universitário e Técnico Universitário, observada a respectiva escolaridade. Ver tópico

Parágrafo único - Aplicar-se-á aos servidores citados no caput deste artigo as regras de enquadramento previstas nos artigos 21 e 22 desta Lei. Ver tópico

Art. 25 - Os ocupantes do cargo de Técnico Universitário, admitidos anteriormente à vigência da Lei nº 8.889, de 01 de dezembro de 2003, investidos em cargos para cujo provimento era exigido a escolaridade de nível médio e que possuam curso profissionalizante terão validados os respectivos títulos de admissão nos respectivos cargos de ingresso, que continuarão classificados como de natureza técnica, para todos os efeitos legais. Ver tópico

Art. 26 - Os aposentados e pensionistas das carreiras de Analista Universitário e Técnico Universitário serão enquadrados e terão os seus proventos ajustados com base nos valores de vencimentos da nova estrutura da carreira, observada a situação em que se encontravam na data da aposentadoria ou em que se originou a pensão. Ver tópico

Art. 27 - O prazo para regulamentação do processo de promoção e progressão para os cargos de Analista Universitário e Técnico Universitário será de 365 (trezentos e sessenta e cinco dias) a partir da data de vigência desta Lei. Ver tópico (4 documentos)

Art. 28 - As despesas decorrentes da aplicação desta Lei correrão à conta dos recursos orçamentários próprios, ficando o Poder Executivo autorizado a promover as alterações que se fizerem necessárias. Ver tópico

Art. 29 - A Secretaria da Administração - SAEB editará legislação específica com o quadro de cargos por Grau da carreira de Analista Universitário, do Grupo Ocupacional Técnico-Específico resultante da aplicação das regras previstas no artigo 20 desta Lei. Ver tópico

Art. 30 - Excetuando-se o disposto no § 2º do artigo 21 e no artigo 22, os enquadramentos previstos no Capítulo IV desta Lei produzirão os seus efeitos a partir de 01 de fevereiro de 2009. Ver tópico

Art. 31 - Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos financeiros nas datas indicadas nas tabelas que compõem os seus Anexos. Ver tópico

Art. 32 - Revogam-se as disposições em contrário. Ver tópico

PALÁCIO DO GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA, em 05 de fevereiro de 2009.

JAQUES WAGNER

Governador Eva Maria Cella Dal Chiavon Secretária da Casa Civil

Manoel Vitório da Silva Filho

Secretário da Administração ANEXO I- A

TÉCNICO UNIVERSITÁRIO

TABELA DE VENCIMENTOS

GRAU VENCIMENTO

IV 532,58 GRATIFICAÇÃO DE SUPORTE TÉCNICO UNIVERSITÁRIO - GSTU Ver tópico

VIGÊNCIA A PARTIR DE 01/02/2009

30 HORAS GRAU REFERÊNCIA

1 2 3

I 355,12 414,43 490,87 Ver tópico

II 509,05 582,73 674,62 Ver tópico

III 735,60 827,13 925,52 Ver tópico

IV 996,20 1.109,91 1.232,15 GRATIFICAÇÃO DE SUPORTE TÉCNICO UNIVERSITÁRIO - GSTU Ver tópico

VIGÊNCIA A PARTIR DE 01/02/2009

40 HORAS


GRAU

REFERÊNCIA

1

2

3

I

619,16

698,16

782,65

II

837,31

936,55

1.044,98

III

1.140,53

1.262,11

1.392,84

IV

1.498,39

1.649,46

1.813,11

GRATIFICAÇÃO DE SUPORTE TÉCNICO UNIVERSITÁRIO - GSTU

VIGÊNCIA A PARTIR DE 01/01/2010

30 HORAS


GRAU

REFERÊNCIA

1

2

3

I

370,94

439,50

513,88

II

552,18

634,21

722,82

III

801,05

897,49

1.001,16

IV

1.070,08

1.181,38

1.300,47

GRATIFICAÇÃO DE SUPORTE TÉCNICO UNIVERSITÁRIO - GSTU

VIGÊNCIA A PARTIR DE 01/01/2010

40 HORAS GRAU REFERÊNCIA

1 2 3

I 640,51 733,06 833,48 Ver tópico

II 899,64 1.010,49 1.130,21 Ver tópico

III 1.239,95 1.370,26 1.510,34 Ver tópico

IV 1.615,79 1.766,18 1.927,09 ANEXO I- B Ver tópico

QUANTITATIVO DE CARGOS ?" TÉCNICO UNIVERSITÁRIO

Grau UNEB UEFS UESC UESB

I 578 370 250 317 Ver tópico

II 231 148 100 126 Ver tópico

III 152 100 60 70 Ver tópico

IV 80 55 35 40 Ver tópico

ANEXO II

Redação de acordo com o art. da Lei nº 11.471, de 15 de abril de 2009. ANALISTA UNIVERSITÁRIO

VIGÊNCIA A PARTIR DE 01/02/2009

TABELA DE VENCIMENTOS

GRAU VENCIMENTO

IV 1.085,85 Ver tópico

V 1.248,73 Ver tópico

VI 1.398,57 Ver tópico

IX 1.964,89 ANALISTA UNIVERSITÁRIO Ver tópico

GRATIFICAÇÃO DE SUPORTE TÉCNICO UNIVERSITÁRIO ?" GSTU

VIGÊNCIA A PARTIR DE 01/02/2009


GRAU

GRATIFICAÇÃO DE SUPORTE TÉCNICO UNIVERSITÁRIO ?" GSTU 30H

S

E

EE

M

D

I

509,99

695,49

866,15

1.184,71

1.566,98

II

526,56

815,61

918,33

1.268,75

1.689,25

III

539,44

820,01

970,38

1.355,84

1.818,39

IV

547,44

830,00

1.021,48

1.445,48

1.954,29

V

549,16

840,02

1.070,60

1.537,01

2.096,69

VI

580,37

879,11

1.153,96

1.667,00

2.282,66

VII

611,70

940,32

1.242,65

1.807,00

2.484,22

VIII

642,82

1.004,30

1.336,86

1.957,64

2.702,58

IX

673,28

1.070,91

1.436,73

2.119,59

2.939,02

VIGÊNCIA A PARTIR DE 01/02/2009

GRAU GRATIFICAÇÃO DE SUPORTE TÉCNICO UNIVERSITÁRIO ?" GSTU 40H

S E EE M D

I     922,17  1.169,49  1.397,03  1.821,76  2.331,45 Ver tópico

II     979,96  1.363,01  1.502,30  1.969,51  2.530,16 Ver tópico

III  1.038,17  1.370,00  1.612,75  2.126,68  2.743,40 Ver tópico

IV  1.096,04  1.425,23  1.728,08  2.293,41  2.971,79 Ver tópico

V  1.152,62  1.514,73  1.847,87  2.469,72  3.215,95 Ver tópico

VI  1.244,18  1.642,50  2.008,95  2.692,99  3.513,84 Ver tópico

VII  1.341,90  1.780,04  2.183,14  2.935,59  3.838,52 Ver tópico

VIII  1.446,03  1.927,99  2.371,40  3.199,09  4.192,31 Ver tópico

IX  1.556,81  2.086,97  2.574,72  3.485,18  4.577,73 VIGÊNCIA A PARTIR DE 01/01/2010 Ver tópico

GRAU GRATIFICAÇÃO DE SUPORTE TÉCNICO UNIVERSITÁRIO ?" GSTU       30H

S E EE M D

I 542,84 745,37 931,69 1.279,49 1.696,86 Ver tópico

II 558,66 874,70 986,40 1.368,98 1.828,08 Ver tópico

III 570,10 885,00 1.040,61 1.461,45 1.966,47 Ver tópico

IV 575,84 895,02 1.093,40 1.556,32 2.111,84 Ver tópico

V 587,63 910,03 1.143,58 1.652,80 2.263,86 Ver tópico

VI 605,16 931,33 1.231,41 1.791,55 2.463,72 Ver tópico

VII 635,82 994,60 1.324,69 1.940,84 2.680,23 Ver tópico

VIII 665,80 1.060,46 1.423,56 2.101,33 2.914,65 Ver tópico

IX 694,59 1.128,73 1.528,13 2.273,68 3.168,33 VIGÊNCIA A PARTIR DE 01/01/2010 Ver tópico

GRAU GRATIFICAÇÃO DE SUPORTE TÉCNICO UNIVERSITÁRIO ?" GSTU       40H

S E EE M D

I 992,85 1.262,88 1.511,30 1.975,03 2.531,50 Ver tópico

II 1.053,67 1.470,70 1.623,97 2.134,07 2.746,19 Ver tópico

III 1.114,62 1.478,24 1.741,95 2.303,06 2.976,39 Ver tópico

IV 1.174,80 1.534,21 1.864,86 2.482,09 3.222,75 Ver tópico

V 1.233,13 1.628,47 1.992,19 2.671,14 3.485,87 Ver tópico

VI 1.329,91 1.764,79 2.164,88 2.911,72 3.807,93 Ver tópico

VII 1.433,04 1.911,41 2.351,51 3.173,03 4.158,86 Ver tópico

VIII 1.542,74 2.068,95 2.553,06 3.456,73 4.541,14 Ver tópico

IX 1.659,24 2.238,06 2.770,58 3.764,62 4.957,47 ANALISTA UNIVERSITÁRIO Ver tópico

VIGÊNCIA A PARTIR DE 01/01/2010

TABELA DE VENCIMENTOS

GRAU VENCIMENTO

IV 1.208,55 Ver tópico

V 1.389,83 Ver tópico

VI 1.556,61 Ver tópico

IX 2.186,93 VIGÊNCIA A PARTIR DE 01/01/2010 Ver tópico

GRAU GRATIFICAÇÃO DE SUPORTE TÉCNICO UNIVERSITÁRIO - GSTU

30 H S E EE M D

I 542,84 745,37 931,69 1.279,49 1.696,86 Ver tópico

II 558,66 874,70 986,40 1.368,98 1.828,08 Ver tópico

III 570,10 815,16 1.040,61 1.461,45 1.966,47 Ver tópico

IV 575,84 845,40 1.093,40 1.556,32 2.111,84 Ver tópico

V 587,63 870,78 1.143,58 1.652,80 2.263,86 Ver tópico

VI 605,16 931,33 1.231,41 1.791,55 2.463,72 Ver tópico

VII 635,82 994,60 1.324,69 1.940,84 2.680,23 Ver tópico

VIII 665,80 1.060,46 1.423,56 2.101,33 2.914,65 Ver tópico

IX 694,59 1.128,73 1.528,13 2.273,68 3.168,33 VIGÊNCIA A PARTIR DE 01/01/2010 Ver tópico

GRAU GRATIFICAÇÃO DE SUPORTE TÉCNICO UNIVERSITÁRIO - GSTU

40 H S E EE M D

I 992,85 1.262,88 1.511,30 1.975,03 2.531,50 Ver tópico

II 1.053,67 1.470,70 1.623,97 2.134,07 2.746,19 Ver tópico

III 1.114,62 1.441,35 1.741,95 2.303,06 2.976,39 Ver tópico

IV 1.174,80 1.534,21 1.864,86 2.482,09 3.222,75 Ver tópico

V 1.233,13 1.628,47 1.992,19 2.671,14 3.485,87 Ver tópico

VI 1.329,91 1.764,79 2.164,88 2.911,72 3.807,93 Ver tópico

VII 1.433,04 1.911,41 2.351,51 3.173,03 4.158,86 Ver tópico

VIII 1.542,74 2.068,95 2.553,06 3.456,73 4.541,14 Ver tópico

IX 1.659,24 2.238,06 2.770,58 3.764,62 4.957,47 Ver tópico

IX 1.659,24 2.238,06 2.770,58 3.764,62 4.957,47

×

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)